Início AUDIÇÃO Música Érika Martins – A eterna Penélope Charmosa

Érika Martins – A eterna Penélope Charmosa

1653
Compartilhe

Ela encantou o Brasil na virada dos anos 2000 como vocalista da extinta banda Penélope. Com uma voz forte e ao mesmo tempo delicada, Érika Martins trouxe um novo jeito de fazer rock no Brasil. Saltitos vocais e gritinhos sussurrados davam um charme especial ao seu canto todo particular. Uma garota roker com jeitinho de menina, super feminina!

Érika Martins em show acústico na Praia do Forte - BA. Foto: Léo de Azevedo/Divulgação
Em 2010, Érika fez um show acústico na Praia do Forte – BA. Foto: Léo de Azevedo/Divulgação

Em 1995, a baiana Érika Martins juntou-se à amiga Pricilla Lollata para formar uma banda de rock com cara de menina. Assim nasceu a Penélope Charmosa, nome inspirado em uma personagem de desenho animado. A fim de dar uma pitada feminina e romântica à postura do rock que consideravam masculinizada, agregaram Constança Scofield (flauta e teclados), Josane Noronha (violão), Jandira Fernandes (baixo) e também convidaram o baterista Mário Jorge, ex-Úteros em Fúria (banda de rock de Salvador, entre 1992 e 1994).

Após um show memorável no Abril Pro Rock de 1997, já com a entrada de Luisão Pereira (guitarra), foram contratados pela Sony Music. Para evitar problemas judiciais com a empresa Hanna-Barbera, que produz o desenho animado Penélope Charmosa e não autorizou a utilização do nome, em 1999, a banda passou a se chamar apenas Penélope. Lançaram ao todo 3 álbuns: Mi Casa, Su Casa (1999) e Buganvília (2001), ambos produzidos por Tom Capone e lançados pela Sony. O primeiro teve músicas de sucesso, como: Holiday” e “Namorinho de Portão” (tema de Malhação, no ano 2000). No segundo os destaques foram “Ciranda da Bailarina” e “Caixa de Bombom”. Esse disco também teve a participação de Wanderléia e uma música inédita de Herbert Vianna feita especialmente para a banda.

Em 2001, fizeram uma apresentação histórica no Rock in Rio 3, e homenagearam a banda Raimundos que junto a outras 5 bandas recusou-se a participar do evento, em protesto. Reveja a apresentação da Penélope entoando a canção A Mais Pedida, dos Raimundos, e também o videoclipe gravado com a participação da vocalista Érika Martins.

O terceiro e último álbum da banda – Rock, Meu Amor (2003) – foi lançado pela gravadora Som Livre, já com a baixista Fifi no lugar de Érika Nande. O disco teve como destaques as faixas Tudo com Você”, “A Fórmula do Amor” (tema da novela Começar de Novo), “Sem Você” (versão de In Between Days da banda The Cure, liberada pessoalmente por Robert Smith) e “Continue Pensando Assim” (com participação de Samuel Rosa). Porém, uma das primeiras bandas de rock feminino a ter projeção e reconhecimento no Brasil teve seu fim no início de 2004.

Ensaio fotográfico da Érika Martins. Foto: Léo de Azevedo/Divulgação
Ensaio fotográfico da Érika Martins. Foto: Léo de Azevedo/Divulgação

Após idas e vindas, várias participações com outros artistas e projetos paralelos, Érika lança sua carreira solo e grava o álbum homônimo Érika Martins (2009). O disco foi lançado pelo selo Toca Discos/Warner Music e produzido por Carlos Miranda, Constança Scofield (sua ex-companheira de Penélope), e Tomás Magno. A maioria das composições foi feita em parceria com seu marido Gabriel Thomaz, da banda Autoramas. O clipe de Sacarina, primeiro single do disco, chegou a figurar entre os cinco mais assistidos no site da MTV. Em seguida, veio a belíssima canção Lento – que conta com a participação da cantora mexicana Julieta Venegas, e a não menos romântica Vou Te Esperar.

Em 2010, ela lançou Curriculum, um álbum-coletânea abrangendo toda sua carreira. Contém canções diversas, desde a época da Penélope até outras clássicas participações: Pare o Casamento” – com Lafayette & os Tremendões; “Superfantástico” – com Arnaldo Antunes; “She Loves You” – com Telecats; “In Between Days” – com Herbert Vianna; dentre outras…

Atualmente, além dos shows com o projeto paralelo “Lafayette & os Tremendões”, Érika prepara seu novo álbum solo, Modinhas. O disco tem direção artística de Constança Scofield e está sendo gravado no lendário estúdio Toca do Bandido. Conta com as participações de Otto, o duo chileno Perrosky, Gabriel Thomaz e Fred (ex-Raimundos). A galera que admira o som da Érika Martins pode ser parceiro e contribuir para realização do seu novo projeto através do crowdfunding ou financiamento colaborativo. Acesse o site Embolacha e participe!

Referências: Universo Musical, Wikipédia e Coletivo Suíça Bahiana.

  • Erica Negima

    É uma teteia mesmo :3

    Evandro, a matéria ficou ótima. Parabens!

    • Obrigado, Erica! Sua xará é realmente uma teteia super talentosa. Volte sempre. Abraço!