Início AUDIÇÃO Quem Vai, Vai com a banda FORFUN

Quem Vai, Vai com a banda FORFUN

630

O quarteto da alegria está de volta. São eles, os meninos da banda Forfun que nos convidam para uma viagem nas ondas sonoras da alegria compartilhada. Os garotos amadureceram e agora mostram um novo trabalho cheio de recursos, deixando para trás o velho estilo Punk Rock Californiano que marcou o início da banda. A parada agora é brasilidade!

Integrantes da banda Forfun
Os quatro integrantes da banda Forfun. Foto: Divulgação

A banda carioca teve início em 2001, e era formada por um trio (Danilo Cutrim na guitarra e vocal, Vitor Isensee no baixo e Bruno Tizé na bateria). Mas esta formação não durou muito. Logo, Bruno sai da banda, sendo substituído por Nicolas Fassano. Vitor vai para a segunda guitarra e Rodrigo Costa assume o baixo, passando também a dividir os vocais com Danilo. Assim o quarteto se forma e começa sua odisseia no underground da música. Inicialmente o som do grupo era influenciado por bandas de Punk Rock da Califórnia, como Blink 182, Green Day e Red Hot Chili Peppers.

Em 2003, começaram a produzir um álbum com 12 faixas, Das Pistas de Skate às Pistas de Dança. Este foi lançado e distribuído pelo selo Dry-Ice Records, impulsionando o trabalho da banda. Apesar de ser considerado não-oficial, foi bem divulgado em sites de amigos, como o Punknet e o Lbvidz. Dois anos depois, o produtor Liminha resolve apostar no talento do grupo e assina a produção do primeiro álbum oficial da banda, intitulado Teoria Dinâmica Gastativa. Mesmo imaturo nas letras, o trabalho foi bem aceito pelo público jovem e a banda ficou conhecida em todo o Brasil.

Em 2007, foram convidados para participar do MTV Ao Vivo: 5 Bandas de Rock, ao lado de Fresno, Hateen, NX Zero e Moptop. Durante o projeto, eles apresentaram ao público duas músicas: “Sigo o Som” e “Gruvi Quântico”, que integrariam o futuro disco. Esse foi o início da virada sonora do grupo, que culminaria no lançamento do álbum Polisenso, pré-produzido e gravado no próprio estúdio da banda, a Casinha.

Rodrigo Costa e Danilo Cutrim nos vocais da Forfun
Rodrigo Costa e Danilo Cutrim nos vocais. Foto: izp/Reprodução
Público vibra ao som banda Forfun
Público vibra ao som banda Forfun. Foto: izp/Reprodução
Danilo Cutrim em show com a Forfun
Show realizado em janeiro de 2011 (Fortaleza/CE). Foto: izp/Reprodução

O Polisenso, segundo disco, foi lançado no final de 2008 e trouxe inúmeras novidades na sonoridade da banda. Diferente dos outros álbuns, os rapazes agregaram sons eletrônicos, e ritmos como o reggae, dub, ska, e o funk. Neste momento o desafio era enfrentar a compreensão ou a rejeição de seu antigo público basicamente rocker. Porém a aceitação e a admiração de novos ouvintes foi instantânea, o disco alcançou reconhecimento da mídia televisiva quando a banda foi escolhida como ‘A Melhor Banda de Rock’ no Video Music Brasil da MTV, em 2009. O ponto alto fica por conta das músicas Sol ou Chuva, “O Viajante” e “Cigarras”, que foi indicada ao Concurso Caixa de Clips, promovido pela Televisão América Latina. A Forfun ganhou na categoria Avançado (artistas com três ou mais álbuns lançados).

Dentre todos, o melhor trabalho da banda é sem dúvida, o terceiro álbum Alegria Compartilhada. Lançado em 2011, de forma independente, o disco teve produção de Daniel Ganjaman, somatizando o caldo de brasilidade ao som do grupo. A nova mistura tornou-se consistente e conferiu mais qualidade a sonoridade das músicas, com elementos do reggae, rock, samba, mpb, rap e eletrônico. O disco ainda conta com instrumentos de sopro e percussão, realçando a busca pelo suingue e influências da cultura africana.

Capa do CD Alegria Compartilhada, com ilustração de Nelma Guimarães
Capa do CD “Alegria Compartilhada”. Ilustração: Nelma Guimarães

O álbum contou com as participações do rapper Black Alien, ex-integrante da banda Planet Hemp, na faixa Cosmic Jesus, tanto em trechos cantados quanto na construção da letra desta música sinistra. Da percussão de Guto Bocão, mestre de bateria da Vai-Vai, que faz pulsar as músicas Alegria Compartilhada, “Quem Vai, Vai” e a “A Garça”. O trombone de Tiquinho (do grupo Funk Como Le Gusta) e o trompete de Paulinho Viveiro (banda de Seu Jorge), ajudam a abrilhantar as músicas “Descendo o Rio” e “Morada”, que irradia magia e grita poesia silenciosamente: “Faço de mim parte do segredo do universo, junto a todas as outras coisas às quais admiro e converso. Preencho meu peito com luz, alimento o corpo e a alma, e percebo que no não possuir encontram-se a paz e a calma… Me ensino a ser mais tolerante, não julgar ninguém e com isso ser mais feliz.”

Ingredientes que evidenciam a preocupação com a qualidade musical e demonstram o amadurecimento da Forfun. O CD está totalmente disponível para download no site da banda, e parte de sua renda será doada ao projeto Roda Gigante. Agora sinta a música! Venha flutuar a bordo de um clipe que transcende a realidade mundana, porque “Quem vai, vai. Quem não vai fica”. Para terminar o ano em grande estilo, reflexivo, divertido e na totalidade. Feliz Ano Novo e que venha 2012!

Forfun – Quem Vai, Vai
(Composição: Danilo Cutrim / Vitor Isensee / Rodrigo Costa / Nicolas Fassano)

Palavra, pensamento e atitude em comunhão
Por isso você tem o livre-arbítrio, a iniciativa, a inteligência e a razão
Você vai ter que aprender, eles vão ter que aprender
Nós vamos ter que aprender

O que peço é saúde e alegria
Prá nós, meu amor, minha querida
Pros nossos filhos, amigos e irmãos
Fartura, paz, amor, respeito, fé e compaixão

Quem vai, vai
Quem não vai fica
Quem vai, quem vai, quem vai
Quem fica

É certo que haverá coisas que fujam da sua alçada
Vambora porque é longa a caminhada, mas a vitória, eu sei, será de goleada
Você vai ter que aprender, elas vão ter que aprender
A gente tem que aprender

———————————————————————————————————————————————-

Edvando JuniorEdvando Junior é cadeirante, cidadão, designer gráfico, apaixonado por projetos de sustentabilidade e tudo que diz respeito a preservação da natureza. Fundador do site Ativar Sentidos e idealizador do projeto social Esquadrão da Paz. Atualmente estou viajando no mundo das palavras, nessa gratificante sensação de exprimir sentimentos para ativar os sentidos. @edvandojr