Início PALADAR SUÍÇA | O paraíso dos chocolates

SUÍÇA | O paraíso dos chocolates

1603
Compartilhe

Feche os olhos! Ah, é verdade, se você fechar não poderá ler. Então, imagine algo que você coloque na boca e imediatamente lhe provoque uma sensação de bem estar, capaz de descarregar a tensão emocional do estresse de um dia inteiro. Algo tão saboroso que caia na corrente sanguínea e provoque um turbilhão de sensações que remontem a infância e te faça lembrar de momentos suaves e gratificantes. Algo tão macio e harmonicamente doce, que dá vontade de comer escondidinho, fazendo carinha de satisfação, como se sua boca estivesse dando uma festa. Sim, só podemos estar falando de chocolate.

Chocolate derretido wallpaper.
Chocolate derretido (clique aqui e baixe o Wallpaper em tamanho maior).

De origem pré-colombiana, o chocolate tal como consumimos hoje é resultado de sucessivos aprimoramentos, principalmente na Europa, onde os primeiros mestres chocolateiros passaram a adoçar e misturar especiarias ao cacau para torná-lo um dos produtos mais deliciosos no consenso coletivo.

Produzido em quase todos os lugares do mundo e consumido em todos, é na Suíça que o rei dos sabores ganha status de prestígio.

Mestres dessa deliciosa invenção, os suíços o popularizaram como sua marca registrada por volta do século XVII. Segundo degustadores ouvidos pela revista VEJA, o sabor dos chocolates suíços, como Toblerone e o Lindt combinam uma composição irresistível, algo realmente pensado para ativar todos os sentidos.

Tanto o formato quanto a embalagem, também são minuciosamente adaptados excepcionalmente para tornar o chocolate suíço uma marca conhecida, difundindo prestígio no segmento. Grãos puros misturados com frutas, licores e o cacau mais nobre, promovem uma indescritível suavidade de características finas preparadas para derreterem na boca e despertar as melhores experiências a quem prova.

Embalagem do chocolate suíço Toblerone.
Embalagem do chocolate suíço Toblerone. Foto: Reprodução
Embalagem do chocolate suíço Lindt. Foto: Reprodução
Embalagem do chocolate suíço Lindt. Foto: Reprodução

Seja lá qual for a consistência, sempre há um sabor para cada preferência! Não é a toa que o produto é responsável por desencadear serotonina, a enzima da alegria em cada mastigação.

O segredo dos maiores fabricantes de chocolates do mundo está na escolha dos melhores grãos de cacau, que corresponde a 70% da massa. E é justamente na seleção dos melhores grãos, na criatividade e na combinação minuciosa de ingredientes, que o chocolate suíço carrega a pompa de mestre dos chocolates.

Segundo a Wikipédia, o mercado do produto na Suíça produziu algo como 148.270 toneladas de chocolate e arrecadou em 2004, nada menos que 1.365 milhões de francos, correspondentes à 814 milhões de euros do mercado local, 551 milhões de euros em exportações, sendo que a população local, possui maior consumo per capita de chocolate (11.6 kg per capita por ano).

E já notou que só de olhar pra ele já nos sentimos melhor? A imagem do chocolate, desde o inicio dos tempos, sempre esteve associada à burguesia, ao poder econômico, desejo, sedução, justamente pelo equilíbrio perfeito das sensações que provoca.

Para os viciados em chocolate – os “chocólatras” como são chamados – não há limites de inventar formas para o consumo, vão desde os tradicionais expostos nas gôndolas de qualquer mercado, como sólido em barrinhas, bombons, líquido, como pó para o achocolatado, até os ovos de páscoa e os deliciosos bolos de chocolate.

E para mais da metade da população, sobretudo a parcela feminina, o prazer de degustar um simples chocolate é algo tão bom, ‘mas tão bom’, que se equipara – e em algumas vezes e até supera – a sensação de um orgasmo. Ah, acha que não? Então pergunte para suas amigas mais sinceras, o que é melhor, sexo ou chocolate?

Um pedaço do chocolate suíço Lindt.
Um pedaço do chocolate suíço Lindt. Foto: Reprodução

Mas se você não tem planos de viajar pra Suíça tão cedo, saiba que no Brasil diversas fábricas tentam reproduzir a sinfonia do chocolate suíço, como o descendente de suíços na Bahia, Hans Schaeppi, criador da primeira fábrica de chocolate do Nordeste brasileiro a produzir receitas tradicionais do país dos Alpes, numa construção cheia de estilo, imitando um chalé suíço.

Então, se você é daquelas pessoas que salivou a beça lendo este artigo, não deixe pra depois – uma mordidinha discreta não faz mal nenhum – aliás, está comprovado que só traz bem estar e até combate o estresse, evita o envelhecimento precoce pelo combate aos radicais livres o saldo é muita alegria. Mas atenção, eu disse uma mordidinha! Eu sei, eu sei, é difícil parar.

* Não deixe de conferir os outros artigos do nosso Especial “ATIVAR na Copa.