Início 7º SENTIDO O Bem e o Mal + Previsões para 2012

O Bem e o Mal + Previsões para 2012

264
Compartilhe

Por que existe o mal, se tudo foi criado por Deus? É tão complexo e ao mesmo tempo tão simples, que só uma noção mais apurada da existência de todos os seres vivos e todas as coisas elucidará nossa vã filosofia. Cada religião traz uma noção diferenciada sobre o bem e o mal. Os astros, o cosmo, o universo, todos esses elementos estão em xeque no ano que acaba de nascer. As previsões para 2012, ao contrário da profecia que aponta o fim do mundo, revela bons caminhos pela frente. Vamos ao um breve passeio pelas religiões e suas crenças sobre o ano em que adentramos há 6 dias.

Religião - Duelo entre o bem e o mal, Jesus Cristo e o Diabo.
O duelo entre o bem e o mal sendo representado por Jesus Cristo e o Diabo. Foto: Reprodução

A Bíblia diz que Deus criou os céus e a terra, e tudo que existe. De acordo com a Igreja Católica, existiu um anjo celestial considerado o mais forte e o mais belo de todos e Deus lhe deu uma posição de destaque, seu nome era Lúcifer. Porém, sua ambição e orgulho era maior que tudo, e ele não aceitou servir a uma criação de Deus, “O Homem”, rebelando-se contra o criador. O Arcanjo Miguel liderou as hostes de Deus na luta contra Lúcifer e suas legiões de anjos revoltosos, derrotando-os, e todos foram expulsos do reino dos céus. Lúcifer, o anjo caído ou Satanás (o Diabo) – decidiu se opor as forças do bem e espalhar o mal por toda eternidade, esse embate perdura desde os primórdios da criação até os dias atuais. Mas será que o bem e o mal são duas forças que precisam coexistir?

Na filosofia chinesa a representação do princípio da dualidade é conhecida como Yin-yang, duas forças que se completam e compõem toda existência, e do equilíbrio dinâmico entre elas surge todo movimento e mutação do universo. O diagrama do Taiji simboliza o equilíbrio das forças da natureza, da mente e do físico. Yang (branco) é o princípio ativo, diurno, luminoso, quente. Yin (preto) é o princípio passivo, noturno, escuro, frio. Juntos, num movimento contínuo de geração mútua representam a interação destas forças.

Diagrama do Taiji, yin yang, talhado em madeira
Diagrama do Taiji talhado em madeira. Foto: Reprodução

Algumas civilizações antigas e religiões acreditam que o mundo irá acabar em 2012. A profecia mais comentada, diz respeito ao calendário Maya que, segundo algumas interpretações, prevê o fim do mundo em 21 de dezembro de 2012. Mayas, Egípicios, Celtas, Nostradamus, Chineses, Budistas, cientistas e religiosos das mais diferentes crenças dizem que o mundo pode estar com os dias contados. Outros afirmam que este nada mais é que um ano de fortes mudanças e o aprimoramento constante das relações de vida na terra. Confesso que acredito em fortes mudanças e na busca pela paz, equilíbrio e harmonia. Essa história de fim do mundo deixo para os filmes Hollywoodianos.

Entre as divindades hindus, o ano foi indicado com regência de Shiva. O horóscopo chinês indica que esse será o Ano do Dragão, o maior ser das realidades essenciais e elementais. Os astros apontam para regência da Lua, que indica maternidade, carinho e proteção, é quem ditará as regras! A Lua governa o signo de Câncer e tudo o que diz respeito ao feminino, e também é a representação da Grande Mãe. Astrologicamente a Lua atua no campo das emoções, da nossa água, das relações e de nossa sombra.

Segundo adeptos do candomblé, o ano será regido por Oxalá, o senhor de todos os Orixás, a entidade máxima associado à criação do mundo e da espécie humana. No sincretismo religioso ele é sincretizado com Jesus Cristo ou Senhor do Bonfim, a sua cor é o branco e ele apresenta-se de duas maneiras: o moço (Oxaguiã) e o velho (Oxalufã). Os símbolos do primeiro são uma idá (espada) e um escudo; o símbolo do segundo é uma espécie de cajado em metal, chamado opaxorô. O dia consagrado para ambos é a sexta-feira. Simboliza a paz, é o pai maior nas nações das religiões de tradição africana. É calmo, sereno, pacificador, é o criador. A Oxalá pertencem os olhos que vêem tudo.

Oxalá, o orixá maior do candomblé e umbanda, representado por Oxalufã, o velho e sábio
Oxalá, o orixá maior do candomblé e umbanda, aqui representado por Oxalufã, o velho e sábio. Foto: Reprodução

Misticismos e crenças a parte, vamos viver e ser feliz. Porque os mistérios entre o céu e a terra são muito maiores do que nossa vã filosofia. Aproveite da melhor maneira, sem rancor, sem medo de buscar aquilo que deseja. Como dizem os budistas, tudo é perfeito da maneira que é! Se você é alto ou baixo, rico ou pobre, negro ou branco nada é melhor ou pior que outro, tudo é plenitude. VIVA mais, SEJA mais, e de forma PLENA, fique em PAZ.

Compartilhe
AnteriorQuem Vai, Vai com a banda FORFUN
PróximoMelhores do Leitura do Mês 2011
Cadeirante, cidadão, designer gráfico, apaixonado por projetos de sustentabilidade e tudo que diz respeito a preservação da natureza. Fundador do site Ativar Sentidos e idealizador do projeto social Natal Solidário. Atualmente, segue viajando no mundo das palavras.