Início 7º SENTIDO Onde está a voz que existe dentro de ti?

Onde está a voz que existe dentro de ti?

Compartilhe

Onde estás? Deixaste de falar contigo? Porque o fizeste? Tiveste medo dos teus próprios pensamentos? Deixaste de te escutar? Não desistas de ti. Há tanto mais que o que imaginamos dentro de nós! Não te consigo ouvir nem o mais singelo pensamento.

Ouça a sua voz interior.

Deixaste de te dar voz? Não o faças. As inseguranças afastam-te da realidade e a realidade continua a existir. Estás em negação? Não te censuro, pois já aí estive e as coisas continuaram a ser como e quando são. É difícil ir lá de novo onde vinha aquela voz que te enchia de doçura em vez de amargura? Sim, por vezes é, mas o que preferes? Mel ou fel?

Desagarraste-te de ti mesmo? Não o faças, mesmo que as durezas da vida te tentem em desagarrar de ti mesmo. Ainda não te ouço. Mesmo que o teu tamanho carnal seja o mesmo o teu eu minguou, desistiu de ser feito de coisas que te enobrecem. Falta de coragem? Porquê? Tens o que qualquer guerreiro tem nas suas mãos fortes e as tuas não são menos que as do guerreiro que parte para a batalha.

O quê? Continuo sem te ouvir. Faz-te mais alto que a tua grande altura e mais forte que a tua mais forte fortaleza. Deixaste ambas irem abaixo? Então respira fundo e faz a tua meditação interior buscando a centelha que te faz seres quem és. Sim, tu ainda tens a centelha, ainda tens tudo guardado dentro de ti, mesmo que não estejas a ver nada.

São muitas gavetas onde tens tudo guardado? Então redistribui cada coisa em sua gaveta e não te esqueças de colocar da parte de fora o que guardas em cada uma delas, para que saibas exactamente o que cada uma delas tem, desde as armas mais poderosas até às fraquezas mais débeis.

Desde as fraquezas mais débeis? Sim, claro. São essas fraquezas que fazem de ti tudo o que somos e que queremos ver transformadas em algo produtivo. Achas que são muito mais as fraquezas débeis que as armas certas para te defenderes? Então refaz tudo de novo e fortalece o que está débil, restaura o que já foi o teu melhor, prepara o que ainda seja útil e parte para a vida, ou não é para isso que estás aqui? Poder-te-ia dizer o segredo da vida para seres forte, mas não me cabe a mim. Também tenho as minhas debilidades de ser humano.

Mas toma esse caminho, faz o que te digo mas não sejas como eu. Alguém me disse o mesmo e não era perfeito. Não procures ser perfeito, procura antes seres o que tens que ser, uma fortaleza blindada, inabalável e aí encontrarás novamente a tua voz, a tua doce e rejuvenescedora voz. Todos a temos e de vez em quando deixamos de a ouvir, por fraqueza, por cansaço, por descuido, mas de vez em quando ela apaga-se ou emudece-se para que a procuremos novamente para nos renovar.

O quê? Já a estás a ouvir? Fico contente e feliz por isso. Ela é a força que deixaste para trás e que te quer agarrar de novo para que nunca mais a percas. Onde está o medo? Fugiu com medo da voz doce! Onde estão as inseguranças? Fugiram com medo da voz que amacia as dores! Onde quer que essa voz entre o mau desaparece para que faças de ti o melhor. Agora já te vejo, já és maior que a tua altura e já alcanças mais longe o teu olhar.

Compartilhe
AnteriorFlorence + The Machine
PróximoCompaixão – A Ciência da Magia
Portuguesa, Psicopedagoga. Tenho paixão pela música, pela leitura e escrita, ou não fosse eu uma mulher de longas paixões. A amizade tem um valor incalculável, o que contribui para o meu lema: Fazer o bem, faz e faz-me bem!