Início 6º SENTIDO Acorda, Cinderela!

Acorda, Cinderela!

553
Compartilhe

Eu poderia iniciar meu conto com o clássico “era uma vez”, como tantos outros o fizeram antes de mim, mas tem certos tipos de personagens que me causam náuseas. Ela acreditava em príncipes e, porque acreditava, ele surgiu. Ele gosta de mulher magra e bem vestida. E por isso, ela se maquiava demais. A vida que ele escolheu não aceita algo que não seja no mínimo paletó, gravata e um rosto sem barba e bigode. Ela é bondosa, porém ambiciosa. A conta bancária de ambos difere pela quantidade de dígitos. Ela tem caráter e boas condutas. Ele só tem dinheiro.

As máscaras escondem a real personalidade das pessoas.
As máscaras escondem a real personalidade.

Não me lembro ao certo se começou aos poucos ou se foi de repente. Só lembro que ela se encantou. E foi piorando. Ele tentava sem muito sucesso disfarçar a sua insegurança atrás da sua superficialidade. Apesar de forte, bonito e encantador, escondia sim uma face arrogante e preconceituosa, que por vezes se mostrava nas brechas da frouxidão de uma máscara que te traia. E que, com toda a certeza ele também havia comprado. A vida seguia no impasse escorregadio e sombrio, mas dançava ele e ela, no salão enorme de chão reluzente, e quem mais entrasse na valsa, virando, dançando, a falsa dança dos bobos. Ela vivia num mundo que não era dela. Aceitava o inaceitável, mas não descia do salto. Enquanto ela se rasgava em lágrimas que não escorriam na sua face, mas que sentia molhar antes mesmo que a gota caísse do céu sobre ela. Preferiu esconder, por qual motivo eu não sei. Enquanto ele se lambuzava da sua bondade inocente. A dama da noite era embalada por uma magia de tal forma que de longe parecia até verdade. A falsidade contamina. Lá dentro dela, algo lutava constantemente para que essa doença não impregnasse a sua alma. A porta estava aberta, mas ele escolheu pular a janela, e lançar as correntes sobre ela. Era um odor interminável, mas ela não sentia o suor ardido da alma dele, que chorava implorando por maldade. Por vezes, o sorriso dela desinfetava. Mas tudo era passageiro.

Amanheceu, e ela não conseguia levantar para ver o sol nascer depois daquela noite, sentia-se sugada por um ciclo vicioso psicótico de más condutas, conceitos pré concebidos de uma mente inteligente, porém malcriada. Ela estava murcha, aprisionada quase morta deitada no caixão esperando que alguém fechasse a porta. Já que o seu sapato ele já havia encontrado. O falso brilho era de uma intensidade tão forte que ela não tinha coragem de fechar a porta, não naquele momento. Ela não tinha se quer forças para esticar o braço ao alcance da maçaneta, que dirá esconder o pé descalço. O dia se arrastava fadigando as dores do casal. Naquele mundo existe regras surreais conduzidas por um maníaco possuído pela loucura de uma paixão doentia.

Sleep Paralysis by Goñi Montes.
‘Sleep Paralysis’. © Goñi Montes

Ao final da ceia, ela já não aguentava mais, e em prantos implorou para que a deixasse partir, e ao vê-la definhando, só foi capaz de acarinhar o seu próprio ego. Bateu no peito, estufou e disse: “você é a mulher dos meus sonhos, a minha princesa”. Aquele peito liso coberto de seda fina fedia pior que fossa aberta, o coração estava ardido e imprensado de tal forma que não conseguia amar.

Ela dormia numa falsa paz encoberta pela esperança em noites frias, na fantasia de encontrar o sapato que encaixe perfeito no seu pé descalço. Os dedos ao relento sofriam com a frieza do tempo vergonhoso de suas escolhas. O que um dia te pareceu certo, tornou-se errado a meia noite. Acorda, Cinderela – o encanto passou. O sapato que escorregou do pé naquela noite já não encaixa mais. Paixões loucas desvairadas duram o tempo de uma noite de encanto, onde a partida de um jogo de sedução termina a meia noite. A realidade chega quando a magia arruma as malas e decide partir. Se restar apenas aparências, a tendência é o chão rachar e abrir um buraco que te leva ao vazio terrível. Ninguém vive de Cinderela o resto da vida. O mundo não é um conto de fadas, apesar de muitos casais viverem maquiados. Não se encante com o brilho das falsas bijuterias usadas por pessoas cínicas, pois quase sempre é tenebroso e o rímel escorre manchando todo o rosto. Muitos casais vivem de relações que é de uma pobreza tão podre que chego a sentir o cheiro da hipocrisia de longe. Desculpe a minha humilde face lavada e a minha sinceridade pontuda que por vezes possa te trazer questionamentos dentro de si, mas eu não posso me abster em dizer – Eu não sei amar algo que não seja o amor.

  • May guedes

    Lindoooo demaissss… Quero mais textos como essessss….! Aprovadissima!

    • Laila Guedes

      Obrigada pelo carinho May Guedes! O texto retrata uma realidade em que muitos vivem, infelizmente.

  • Adriana

    Lai, esse é o um texto realista, retrata o que muitas mulheres passam para não sentirem-se rejeitadas, para que não cabe no nosso cotidiano. Parabéns!! Lindo texto!

    • Adriana

      Só corrigindo… palavra que não cabe no nosso cotidiano

    • Laila Guedes

      Obrigada, Adriana! Venha nos visitar sempre para ler outros textos.

  • May

    Fã número 1…. Muito lindo o texto… Vou divulgar!

    • Laila Guedes

      Sei que sim, May!!! Obrigada. Divulgue o site, aqui tem outros textos tão interessantes quanto!!!

  • Nayara Del Rey

    Parabéns Lakinha, muito lindo o texto, toca no fundo da alma e serve como reflexão. Parabéns mesmo bjs. Aprovadissima!!!!!

    • Laila Guedes

      Obrigada, Nay!!! Espero, sinceramente, que muitas almas sejam tocadas e, muito mais além, promova a reflexão e mudança pra melhor na vida de todos!!!

  • Ana Luísa Neves

    Quantas de nós já viveu uma ilusão de ser Cinderela por uma noite, mas quanta mais de nós não vive forçando essa ilusão, apenas porque não consegue gostar de si mesma como é!
    Amor próprio é uma conquista dura e nem sempre é fácil de o manter. O amor próprio ajuda a afugentar esses abutres, sedutores hipnotizantes como vampiros.
    Este texto está carregado de realidade!
    Muito bom!

    • Laila Guedes

      Excelentes considerações, Ana Luísa Neves!

  • André Fernandes

    Parabéns Lai, como fui o primeiro a ver seus textos, não tinha dúvida do seu talento, siga em frente com seu lado intuitivo que Deus lhe deu! bjs

    • Laila Guedes

      Agradeço as palavras, meu amigo! Vc é um grande artista e receber seus elogios são uma grande honra pra mim. Bjs Dé

  • Igor Luiz

    Prima muito bonito o texto parabéns!

    • Laila Guedes

      Obrigada, Iguinho!!! Venha sempre ao site. Bjs

  • Michelle Stolze

    Adoreiiiiii!!!
    Muito boa todas suas publicações!!!!
    Adoroooooooo!

    • Laila Guedes

      Obrigada Michelle!!! Volte sempre. Abs, Laila guedes

  • Mara Velasco Bastos

    Lai, vc sabe o eu penso de vc, do seu talento, da sua sensibilidade. Vc é um ser inteligente, luminoso e perspicaz. Esse texto retrata tantas relações, n só amorosas no sentido macho e fêmea, como tbm relações interpessoais, estamos cheios de exemplos desses conflitos no nosso dia a dia. São relações entre amigos q anulam um ou outro, q exploram sentimentos, ideais, invejam a coragem, o talento, a doçura, o afeto…tantos, são tantos os doentes de espírito, os sugadores de almas, de sonhos, q vampirizam os dependentes, os carentes de afeto e ternura… Vc tem a clareza de enxergar e sentir esse caos da natureza humana, q me emociona!
    Coninua, continua, continua, vc é um conto, então conte e encante!
    Simplesmente encantada!
    Mara

    • Laila Guedes

      Meu coração agradece e engrandece com essas tuas palavras de carinho e carregadas de sinceridade. Escrevo por que minha alma pedi, Mara, continuarei!!! Bjs

  • Caroll Siqueira

    Laila, ótimo texto. Excelente para parar e refletir…
    Talento é o que não falta p/ você. Parabéns!!!

    • Laila Guedes

      Agradeço o carinho e por disponibilizar um pouco do seu tempo para mergulhar em um dos meu textos. Volte sempre Caroll!!! Abs

  • elis

    Amei o texto Laila. De forma criativa você denunciou uma realidade que muitos de nós vivemos, ou melhor, nos escondemos. E sendo assim pessoas vão perdendo suas identidades e vivendo de aparência, vivendo um conto de fadas que não existe. Sou suspeita, amo esses assuntos que você abordou…mascaras x identidade…sonho x ilusão, comodismo x atitudes…precisamos ler mais textos assim. Precisamos sair de contos que não nos fazem felizes e se encontrar com a realidade e viver, viver com coragem, com personalidade e ser feliz…
    Sou fã deste texto seus…parabéns!

    • Laila Guedes

      Sim, é um tema bem polêmico. Obrigada pelo carinho sincero!

  • Gabriel

    Show de bola!!! Lindo texto.. retrata a realidade de muita gente.. Espero q sirva para muitos refletirem sobre a essência da vida… vai muito alem do material… Parabenssss!! vc tem um dom…

    • Laila Guedes

      Obrigada Gabriel! Leia outros textos também, sinta-se à vontade!

  • Grazzy Lemos

    Q lindoooo…parabénsss…merece ser divulgadoo= FATO!!!!!!!Aprovaderrimmmmaaaaaaaa!!!!

    • Laila Guedes

      Obrigada!!! Volte sempre.

  • JoSf

    …conto parnasianista, que realça o verniz da vitimização e excessiva ingenuidade das “cinderelas” . Este pequeno conto, cheio de simbolismos demonstra por outra lado, a maturidade da escrita da senhorita Guedes. Parabéns! Nos dê mais textos assim !

    • Laila Guedes

      Excelente colocação!!! Agradeço as palavras cheias de sabedoria. Abs

  • Vera Lúcia

    Lindíssimo! Já pensei mto como uma Cinderela, mas acordei e hj vivo minha vida intensamente livre. Bjs, Laila!

    • Laila Guedes

      Olá Vera! O importante é o acordar! Viva Vera, Viva, pois o Viver é o que nos faz Viva!!! Abs

  • Mari

    Excelente!!! Parabéns e Sucesso.

    • Laila Guedes

      Obrigada e volte sempre!!! Abs

  • Fernanda

    Simplesmente PERFEITO! Me fez lembrar o meu despertar para uma vida que hoje tenho muito mais feliz. Obrigada. Você é divina com as palavras.

    • Laila Guedes

      Eu que agradeço as palavras de elogio, Fernanda. Abs.

  • Plinio

    Um texto que todos deveriam ler. Fato!

    • Laila Guedes

      Então vamos ler, aproveita para ler os demais textos que também são bem bacanas!!!!

  • Pedro

    Suas palavras não apenas levam a um despertar mais a uma intensa reflexão interna! Parabéns, você escreve muito bem.

    • Laila Guedes

      Obrigada, Pedro. Abs.

  • Lila

    Um dos melhores textos que já li. A mais pura realidade da sociedade em que vivemos, onde poucos tem a coragem de ser quem realmente é. Acorda, acorda, vamos acorda!!!

    • Laila Guedes

      Exatamente, Lila, que sejamos mais corajosos, que sejamos mais nós mesmo. Abs.

  • Camila

    “Eu não sei amar algo que não seja o amor”… Frase Perfeita!!!

    • Laila Guedes

      A verdade é que ninguém sabe, alguns pessoas apenas fingem saber. Abs.

  • Mara

    Parabéns, a escritora tem um estilo único, mas verdadeiro. Senti algo especial que me fará refletir ainda mais e mais.

    • Laila Guedes

      Obrigafda, Mara! Abs.

  • Renata

    Eu também não sei amar algo que não seja o amor. Fantástico Laila, que texto! O pior, é que tem muita gente por ai que vive relacionamento de pura fachada, só pra dizer que não está encalhada.

    • Laila Guedes

      Muitos risos…. Gostei da sua colocação e o uso da palavra “encalhada” me fez rir e lembrar de uma frase de Robin Williams que diz assim “Costumava a pensar que a pior coisa da vida era terminar só, mas não é. A pior coisa da vida é terminar com alguém que te faz sentir só”.