Início 6º SENTIDO Campanha da Fraternidade 2011

Campanha da Fraternidade 2011

72

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou, dia 9/04 a Campanha da Fraternidade 2011 que tem como tema: “Fraternidade e a Vida no Planeta”. O objetivo é contribuir para a conscientização sobre a gravidade do aquecimento global e das mudanças climáticas.

A expectativa, de acordo com a CNBB, é motivar as pessoas a participar de debates e de ações que visam a enfrentar o problema e preservar as condições de vida no planeta. Realizada em todas as dioceses do Brasil, a Campanha da Fraternidade foi criada em 1964. Este é o quarto tema relacionado à preservação do meio ambiente – em 1979, o tema foi Preserve o Que É de Todos; em 2004, Água, Fonte de Vida; e, em 2007, Vida e Missão Neste Chão.

O lançamento da campanha deste ano foi feito pelo secretário-geral da CNBB, dom Dimas Lara Barbosa, na sede do órgão, em Brasília. Na ocasião foi apresentada ainda uma mensagem do papa Bento XVI, enviada exclusivamente para a campanha. Reforçando o tema proposta pela CF deste ano: “Fraternidade e Vida no Planeta”, o Santo Padre pede uma “mudança de mentalidade e atitudes para a salvaguarda da criação”. Bento XVI destaca que o primeiro passo para uma “reta relação com o mundo” é o reconhecimento, por parte do homem, “da sua condição de criatura”.

Sendo assim, ele deve buscar ser “mais sensível à presença de Deus naquilo que está ao seu redor: em todas as criaturas e, especialmente, na pessoa humana há uma certa epifania de Deus”. “O homem só será capaz de respeitar as criaturas na medida em que tiver no seu espírito um sentido pleno da vida; caso contrário, será levado a desprezar-se a si mesmo e àquilo que o circunda, a não ter respeito pelo ambiente em que vive, pela criação.

Por isso, a primeira ecologia a ser defendida é a ‘ecologia humana’”, destacou o Papa, ao citar o trecho de sua Encíclica Caritas in Veritate. De fato, o Santo Padre afirma que, sem uma clara defesa da vida humana, “nunca se poderá falar de uma autêntica defesa do meio-ambiente”.

Por fim, Bento XVI destaca que o dever de cuidar do meio-ambiente é um “imperativo que nasce da consciência de que Deus confia a Sua criação ao homem não para que este exerça sobre ela um domínio arbitrário, mas que a conserve e cuide como um filho cuida da herança de seu pai, e uma grande herança Deus confiou aos brasileiros”.

Texto: Canção Nova Notícias