Início 6º SENTIDO Pequeno Mágico

Pequeno Mágico

Compartilhe

Finalmente nos meus braços te tenho, como uma mãe um filho. Não nasceste no meu ventre, mas é como se de mim que tivesses saído. Um rosto de anjo com o sorriso do Sol. O cheiro que emanas é o da pureza do Paraíso quando os anjos regam os seus jardins de ternura e encanto. O teu abraço enche-me de vida como se respirasse de novo.

Escultura de mãe e filho (Papel de parede - Wallpaper).
“Escultura de mãe e filho” (clique aqui e baixe o wallpaper em tamanho maior).

Não vieste do meu ventre, mas é como se tivesses nascido de mim de um amor quase celestial que só Deus conhece. És a inspiração que não se compadece com a tristeza e mais um dia brilha como a tua beleza de Deus menino. É o fruto de amor e não de outro sentimento que gera um milagre como tu que cresce a sorrir e a trazer luz por onde passa. Fazes sorrir o mais acabrunhado, dás carinho ao coração mais cansado da vida de amarguras, trazes a paz a quem já a perdeu.

As palavras que alguma vez possa escrever nunca são suficientes para te descrever meu pequeno rebento, que é tão meu como do mundo a que pertences, mas o mundo está à tua espera para o viveres para o encantares com toda a tua frescura original dada pelo amor que exalas e que é difícil de descrever. Tão grande amor assim como por um filho é difícil de explanar no mundo cinzento que ainda não vês que existe. És a minha alegria nos dias mais dolorosos, o calor nos dias mais frios, a paz nos dias mais duros.

Reencontrar-te foi como viver novamente o milagre da tua existência que não deixa ninguém indiferente perante tanta candura que dura enquanto assim o quiseres, porque és especial sendo, aparentemente, mais uma criança feliz, mas com muito mais luz e amor genuíno.

Não descansas enquanto não arrancas um sorriso meu ou uma gargalhada de quem te quer tanto bem como uma mãe a um filho, tocas no coração e o esplendor brilha, tens a arte de levar amor a onde ele perdeu a esperança por breves momentos e recuperas o sentido das coisas que não fazem sentido, és o mágico que tira pombas brancas e coelhos da cartola aparentemente vazia e as tuas mágicas fazem maravilhar os rostos que não esperam tanta imaginação.

És o brilhante que dá sentido à minha vida sem muito sentido. A tua pureza faz-me sentir pequenina, mais pequenina que tu meu pequeno rebento de amor e alegria. O que ensinas aos adultos fá-los pensar que no mundo ainda vale a pena viver, que no final do dia sempre há algo mais que possa ser melhor que tudo o que se ouve, tudo o que se vê, tudo o que se toca e se sente. Tão simplesmente adoro-te e para sempre no meu coração terás uma mansão maior que tu em que tempo for.

Compartilhe
AnteriorElis – Nada Será Como Antes
PróximoSem Medo de Falar
Portuguesa, Psicopedagoga. Tenho paixão pela música, pela leitura e escrita, ou não fosse eu uma mulher de longas paixões. A amizade tem um valor incalculável, o que contribui para o meu lema: Fazer o bem, faz e faz-me bem!