Início TATO A graciosidade da CIA Ballet de Cegos

A graciosidade da CIA Ballet de Cegos

537

Movimentos, leveza, um toque de arte e amor. Muito amor! Esses são alguns dos elementos apresentados as crianças, jovens e adultos que integram a CIA Ballet de Cegos Fernanda Bianchini.

CIA Ballet de Cegos Fernanda Bianchini.
CIA Ballet de Cegos apresentando o espetáculo “A Bela Adormecida”. Foto: Divulgação

A bailarina e fisioterapeuta Fernanda Bianchini desenvolveu um método pioneiro que hoje é reconhecido mundialmente. Há 18 anos, ela trabalha com pessoas que perderam o sentido da visão e as ensina o prazer de dançar ballet clássico. “O aprendizado se inicia no toque. O passo é ensinado a cada aluno. O professor, sempre com muito carinho, orienta e repete todos os movimentos até que, em certo ponto, os bailarinos dançam apenas com instruções orais.”

O ensino do ballet clássico para deficientes visuais teve início no Instituto de Cegos, em São Paulo. Todo o esforço resultou na fundação da Associação de Ballet e Artes para Cegos Fernanda Bianchini que existe desde 1995. As aulas são ministradas gratuitamente para alunos de todas as idades, nos cursos de Ballet Clássico, Sapateado, Dança de Salão, Sincronismo e Expressão, Danças para terceira idade, Ballet para adultos e Música. O grupo mantém-se com doações e patrocinadores.

A fisioterapeuta Fernanda Bianchini ensinando suas alunas da CIA Ballet de Cegos.
A fisioterapeuta Fernanda Bianchini ensinando suas alunas. Foto: Reprodução
Alunas dançando Ballet Clássico na CIA Ballet de Cegos Fernanda Bianchini.
Alunas dançando Ballet Clássico. Foto: Reprodução
A dançarina Geyza Pereira da CIA Ballet de Cegos Fernanda Bianchini.
A dançarina Geyza Pereira fotografando para uma campanha da Equus. Foto: Reprodução

Fernanda e suas pupilas vem provando a cada dia que nada é impossível para aqueles que acreditam e batalham pelos seus sonhos. É como diz o lema do projeto: “Uma bailarina deve sempre olhar para as estrelas ainda que não as enxergue. O que os olhos não vêem, o coração e o corpo sentem!”

Quem quiser conhecer um pouco mais sobre o belíssimo trabalho da CIA Ballet de Cegos, pode acessar o site oficial da Associação. Abaixo, um vídeo sobre o projeto.

Não deixe de conferir o primeiro e o segundo artigo da série sobre a ausência da visão.