Início VISÃO 5 Nego-Bom e uma Coca, Por favor!

5 Nego-Bom e uma Coca, Por favor!

Compartilhe

Por Edvando Junior

Imaginem vocês que as pessoas vão num boteco para tomar uma gelada, jogar conversa fora e se distrair, mas ela não.

Numa tarde de verão a Dona Mocinha sai para passear, levando consigo sua cúmplice, “A NORA”. Elas passam a sessão da tarde toda perambulando pelo bairro do Imbuí, passando pelo Imbuí Plaza, Caboatã Shopping, Extra Paralela… Puro disfarce! Tudo para não deixar pistas sobre o seu real destino. Apenas uma tática utilizada especialmente em ocasiões muito especiais. Há essa hora vocês devem estar se perguntando, onde será a parada final desse inocente passeio um tanto suspeito?

A Dona Mocinha (vulgo DM), não dá ponto sem nó. Só ponto de cruz com muito nó. Ela é esperta, sagaz, irônica, um tanto sem gás e às vezes perigosa. O seu plano consistia em fazer com que todos do bairro a vissem em diferentes locais, pois dessa forma ela poderia dizer que estava em qualquer um dos lugares por onde passou. Isso mesmo, a gata garota queria apenas um álibi, ou melhor, vários álibis. Agora sim, com esses dados em mãos será feita a revelação. Onde será o destino daquela nobre senhora e sua fiel escudeira? É simples, o BAR DO JURA.

Esse era o lugar preferido da Dona Mocinha. Um passeio comum, corriqueiro, sem maiores pretensões. Mas o que ela ia fazer num simples boteco? O quê, o quê, o quê? Pasmem senhores, o pedido fulminante:

– 5 NEGO-BOM E UMA COCA, POR FAVOR! – Dona Mocinha desferiu o golpe.
– Minha tia, que gosto tem isso? – Repeliu o golpe, “A NORA”.
– Minha filha, EXPERIMENTE, é sensacional. Quando se morde um pedaço de NEGO-BOM e bebe junto um gole de coca-cola, hummm… Faz aquele chiado na boca (xxxiii) é uma sensação maravilhosa, ai que cosquinha gostosa.
– Só você mesmo, porque eu não vejo graça.
– Ah, você fique com sua melancia e me deixe quieta.

O detetive Djorge seguia as pistas, mas não poderia imaginar que o caso tomaria outro rumo. A reconstituição dos fatos foi por água abaixo, interrompida por uma crise de riso, e bota crise nisso. É que fontes fidedignas revelaram que ela estaria preparando o lançamento de um bombom megademais e superbakana que promete revolucionar o seu estado de espírito, o BRANCO BOM. “Parece uma tentativa de concorrer com o famoso doce nordestino que a fez delirar. Mal sabe ela que estamos no seu encalce atrás da tal Corporação XuáXuá (fachada para execução de seus planos mirabolantes).” Pensava o detetive.

O problema é que depois das múltiplas risadas ele teve vontade de experimentar. Agora corre uma lista com 50 nomes que participarão do lançamento. Ficou curioso, deixe seu nome e email dizendo: quero participar do novo lançamento da Corporação XuáXuá, o bombom BRANCO BOM.

Tome cuidado, pois numa esquina perto de você, a Dona Mocinha e sua fiel escudeira podem aparecer!

Continua no próximo episódio…

———————————————————————————————————————–

Cadeirante, cidadão, designer gráfico, apaixonado por projetos de sustentabilidade e tudo que diz respeito a preservação da natureza. Atualmente estou viajando no mundo das palavras, nessa gratificante sensação de exprimir sentimentos para ativar os sentidos. @edvandojr

Compartilhe
AnteriorComo se comportar no Happy Hour
PróximoLivro: Jornalismo de Revista

Cadeirante, cidadão, designer gráfico, apaixonado por projetos de sustentabilidade e tudo que diz respeito a preservação da natureza. Fundador do site Ativar Sentidos e idealizador do projeto social Natal Solidário. Atualmente, segue viajando no mundo das palavras.