Início VISÃO A Fuga das Galinhas, uma animação em stop motion

A Fuga das Galinhas, uma animação em stop motion

5330
Compartilhe

A Fuga das Galinhas (Chicken Run – 2000) é um filme britânico-americano dirigido por Peter Lord e Nick Park que poderia ser uma animação como todas as outras, não fossem as mensagens implícitas que carregam, superando as animações tradicionais com um conflito, uma estratégia e a solução.

Ginger é a líder das galinhas no filme A Fuga das Galinhas.
Ginger, a líder das galinhas preparando a fuga. © Aardman Animations

O enredo é muito mais abrangente e profundo: na granja da família Tweedy com uma rígida linha de produção de ovos, o filme mistura a dura vida das galinhas poedeiras com a similaridade da pressão dos trabalhadores de fábricas, submetidos aos duros processos industriais das gestões de Taylor e Fayol.

O fato de humanizar os bichinhos, dando a eles personalidade, comunicação e habilidades humanas para percorrer a busca de um sonho de viverem livres em um santuário ecológico, faz com que consigamos romper a linha imaginaria que nos separa dos “animais”.

Engraçado, divertido e com uma trilha sonora dos grandes filmes de aventura, os personagens expressam frases tocantes como: “Vamos colocar ovos para toda a vida e quando não mais produzirmos seremos mortas sem direito a dar um pio? Há um lugar lindo lá fora com uma grama verde e macia.”

A técnica de animação é aplicada com maestria, nos moldes de filmes como Shrek (2001) e Ratatouille (2007). Porém com personagens feitos de massinha de modelar, no gênero Stop Motion: técnica que utiliza a disposição sequencial de fotografias diferentes de um mesmo objeto inanimado para simular o seu movimento. Para cada segundo de filme são necessários aproximadamente 24 quadros ou fotogramas.

Com movimentos muito precisos, o que chama a atenção é o sentimento controverso que a animação nos provoca, tendo em vista que a maioria das pessoas na vida real se alimentam de galinhas e outros animais, nota-se que durante os quase 90 minutos de filme, somos envolvidos de tal maneira que nos tornamos os bichinhos e torcemos para que os humanos se deem mal.

Bastidores das filmagens do longa A Fuga das Galinhas.
Bastidores das filmagens do longa “A Fuga das Galinhas”. © Aardman Animations
Granja da família Tweedy no filme A Fuga das Galinhas.
Granja da família Tweedy. © Aardman Animations
Estocagem dos ovos da Sra. Tweedy, no filme A Fuga das Galinhas.
Estocagem dos ovos da Sra. Tweedy. © Aardman Animations
A montagem de um plano de fuga infalível em A Fuga das Galinhas.
A montagem de um plano de fuga infalível. © Aardman Animations

Em alguns breves instantes, aparecem cenas que transmitem a rigidez do confinamento que cercam os animais em granjas e abatedouros. Algo semelhante ao holocausto, com grades, correntes, aspectos sombrios e o medo percebido numa profunda reflexão sobre os cruéis processos de abate, diga-se de passagem, verdadeiros, que permeiam o universo da produção em larga escala para satisfazer os lucros ambiciosos.

A ideia central do filme é o entretenimento, realmente é diversão garantida. São poucas as cenas de conflito, o filme segue quase todo ele muito leve e ideal para um domingo a tarde em família. Contudo, não posso deixar de pensar na educação subliminar que é transmitida quando o autor propõe associar personagens queridos e cheios de sonhos à vidas desperdiçadas em questões de segundos ao virarem produtos como uma simples torta de galinha.

Com a dose certa de história para crianças, comunicação e estratégias de ação numa linguagem adaptada para adultos, o filme nos mostra a angústia do abate e a tristeza nos olhos das galinhas da granja, ao mesmo tempo que motiva e ensina que todos os sonhos podem ser alcançados, basta acreditar.

Chicken Run Poster ou Cartaz do filme A Fuga das Galinhas.Informações Técnicas

Título Original: Chicken Run
Título no Brasil: A Fuga das Galinhas
País de Origem: Estados Unidos e Reino Unido
Gênero: Animação / Comédia
Duração: 84 min
Ano de Lançamento: 2000
Estreou no Brasil: 22 de dezembro de 2000
Direção: Peter Lord e Nick Park
Roteiro: Peter Lord, Nick Park e Margaret French
Edição: Mark Solomon
Estúdio: Aardman Animations
Distribuição: DreamWorks / Pathé
Site Oficial: www.aardman.com

Ah sim, e como todo bom roteiro de ação e aventura que se preze, possui personagens com ideias conservadoras e negativas em contraste com heróis e mocinhos visionários. Com o apoio de seus amigos Rocky, comandante Fowler e os ratinhos comedores de ovos Nick e Fetcher; – Ginger, a líder das galinhas, que sempre motivada e perspicaz, carrega consigo ares de heroína e reforça que se há uma chance em um milhão de fugir da granja, então deve-se lutar.

Divirta-se e chame os pequenos para assistirem junto! Pois durante o tempo todo, vocês vão torcer para que as máquinas quebrem, os carrascos humanos se deem mal, o mundo todo se torne vegetariano e as galinhas se saiam bem.

Enredo perfeito, muito engraçado e indicado para todas as idades. Podem assistir sem medo a versão dublada em português, pois os dubladores brasileiros deram um show. Com destaque para Miriam Ficher (voz da Ginger), Nádia Carvalho (Sra. Tweedy), e o grande Domício Costa (voz do comandante Fowler), conhecido por também dublar os personagens Mutley e Dick Vigarista, no desenho animado Corrida Maluca. Este lindo filme foi produzido pela Aardman Animations, onde nós humanos somos pintados como monstros gananciosos, estúpidos e irracionais. E a pergunta que deixo é: será que realmente não é o que somos?

Assista o Trailer do filme!

Compartilhe
AnteriorMenino Novo
PróximoFaturamos o TOP2 no Prêmio TOPBLOG 2013
Redatora Publicitária, Marqueteira, Roteirista e Country Manager. Amante das artes, ocultismo e, principalmente, de bichos. É ativista pelo Direito dos Animais, vegana e desenvolve ações de merchandising social, sustentabilidade e consciência ecológica.