Início VISÃO Entrevista com Alexandre Beck

Entrevista com Alexandre Beck

2537
Compartilhe

Ele criou o personagem Armandinho. Um garoto de cabelos azuis que saiu das páginas do jornal Diário Catarinense e invadiu a internet para encantar a todos com seu jeito ingênuo, puro, e ao mesmo tempo, contestador e crítico. Nosso entrevistado de hoje é o agrônomo, publicitário e ilustrador Alexandre Beck!

Alexandre Beck, criador do personagem Armandinho.
Alexandre Beck, criador do personagem Armandinho. Foto: Reprodução

Alexandre é catarinense, tem 43 anos, e sempre teve paixão por desenhar. Em 2010, a bordo da redação de um jornal, ele gerou seu trabalho mais visível, um menino travesso chamado Armandinho. Não demorou muito e o personagem de quadrinhos que tem um sapo de estimação foi parar na internet, convidando leitores a refletir sobre a vida, sempre com uma pitada de humor e inocência.

A página do Facebook que começou apenas para divulgar seus trabalhos entre amigos, cresceu, levando Armandinho e seu pai para todo Brasil. Hoje as tiras do Armandinho já são publicadas por oito jornais de grande circulação, conta com seis livros lançados e mais de 700 mil curtidores em sua fanpage. Confira a entrevista que fizemos com ele!

Ativar Sentidos – Você fez alguns cursos de graduação até encontrar-se. O que diria para as pessoas que estão buscando sua verdadeira vocação profissional?
Alexandre Beck
– Tive ótimos momentos por todos os lugares onde passei. Isso eu trago comigo. Tudo o que aprendemos nos acrescenta, e é útil, por exemplo, para fazer as tirinhas do Armandinho. E talvez eu não trabalhe com isso por muito tempo. As coisas mudam, as pessoas mudam. Acredito que o caminho é mais importante que um destino. Se posso sugerir algo, seria ficar tranquilo e aproveitar bem a viagem.

Ativar Sentidos – Como surgiu sua paixão pelo desenho?
Alexandre
– Quando criança, muito pequeno, eu adorava bichos. Tigres, leões, elefantes, girafas. Desenhá-los era uma forma de tê-los por perto.

Alexandre Beck e as tiras do Armandinho.

Ativar Sentidos – Quais são suas influências?
Alexandre
– Pessoas que lutam por causas que considero importantes: justiça, igualdade, direitos, meio ambiente. Elas me influenciam e me inspiram.

Ativar Sentidos – De onde veio a ideia/inspiração para criar o personagem Armandinho?
Alexandre
– De uma emergência. Eu fazia tirinhas em um jornal com outros personagens, universitários. Me pediram 3 tiras para ilustrar uma matéria sobre pais e filhos, que seria publicada no dia seguinte. Não havia tempo. Peguei o desenho de um menino pronto, desenhei pernas para representar os pais e fiz as tiras.

Ativar Sentidos – A tirinha do Armandinho já era publicada no jornal Diário Catarinense antes de fazer sucesso em todo Brasil através do Facebook. Como se deu essa transição, e por que?
Alexandre
– Saí de minha cidade e fui morar em outro Estado, distante 750 km. Comecei a publicar as tiras na internet para que meus amigos pudessem opinar antes de eu enviá-las ao jornal. Continuo publicando no Diário Catarinense até hoje.

Ativar Sentidos – Como você avalia o sucesso do personagem na internet?
Alexandre
– Como uma enorme responsabilidade. Não sou humorista, e levo muito a sério o que faço.

Alexandre Beck e as tiras do Armandinho.

Ativar Sentidos – Você atua ou pretende atuar em outros projetos ou Armandinho toma todo seu tempo?
Alexandre
– Fiz muitas histórias em quadrinhos educativas, principalmente na área do meio ambiente. Gosto disso, é algo que julgo muito importante e útil e toda minha formação favorece. Hoje as atividades relacionadas ao personagem ocupam a maior parte do meu tempo, mas pretendo equilibrar melhor isso.

Ativar Sentidos – Você está indo a Portugal para lançar mais um volume dos livros do Armandinho. Já existem propostas para lançamento em outros países?
Alexandre
– Minha esposa vai apresentar um trabalho em Madri, e vamos aproveitar para conhecer leitores do Armandinho em Portugal. Então, essa viagem não foi devido a isso. Existem algumas sondagens de propostas, mas não tenho pressa. Quem precisa gostar do que faço, antes de tudo, sou eu mesmo. Com as tiras é assim, com os livros também. Estou trabalhando por vontade própria no primeiro livro do Armandinho em espanhol.

Ativar Sentidos – E aqui no Brasil, existe a possibilidade de vermos o personagem em áudio e vídeo?
Alexandre
– Talvez, mas não a curto prazo. Uma das coisas que gosto nas tiras é que o leitor as completa, com a imaginação. As pessoas interpretam as tiras de acordo com sua visão de mundo, imaginam os pais do Armandinho e inclusive a voz do personagem. Como uma mágica. Houve convites, mas em um suposto desenho animado do Armandinho, eu precisaria colocar uma voz no personagem, por exemplo. E começaria a quebrar essa mágica. Hoje isso não me atrai.

Alexandre Beck e as tiras do Armandinho.

Alexandre Beck e as tiras do Armandinho.

Ativar Sentidos – Quais suas pretensões daqui pra frente?
Alexandre
– Em relação ao personagem, o Armandinho já foi muito além de tudo o que eu poderia sonhar. Minha pretensão pessoal – independente do que eu esteja fazendo – é continuar crescendo como ser humano. Aprendendo, sempre, e compartilhando experiências e vivências com outras pessoas em busca de um mundo um pouco mais justo para todos.

* Agradecimento especial ao Alexandre Beck, que gentilmente concedeu-nos essa entrevista, e a Sarabólica pela sugestão/indicação. Realização: Edvando Junior.

  • Margarete Da Costa Andrade

    Eu adoro o Armandinho! Alexandre tenho o maior respeito e admiração por teu trabalho,gostei de conhecer um pouco de ti,sorte na busca dos teus sonhos! Mas por favor não ‘mata’ o Armandinho,ele nos faz melhor!Toda vez que um personagem que amamos deixa de ser criado,morremos um pouco!Abraço carinhoso!

    • Que bom q gostou da entrevista, Margarete. Se preocupa não, o Armandinho já foi eternizado no inconsciente de quem o conhece. Compra os livros e terá ele sempre contigo. Obrigado pela visita por aqui, volte quando quiser!