Início VISÃO Melhores do Ano: Livros, Filmes e Aplicativos

Melhores do Ano: Livros, Filmes e Aplicativos

175
Compartilhe

Pegando uma carona na lista de melhores músicas de 2015 do nosso Edvando Junior, resolvi fazer uma lista com várias coisas que curti ao longo desse ano que, enfim, está se despedindo.

Melhores Livros, Filmes e Aplicativos.

Em 2015 eu li bem menos do que deveria, mas em contrapartida alcancei a meta estipulada que eram de 10. De crônicas aos espíritas, os temas foram bem variados e alguns, claro, gostei mais que outros. Esses eu pretendo indicar a vocês. Já filmes, nossa, essa meta eu alcancei e dobrei. Netflix e Popcorn foram meus cinemas em casa. Tem alguns que me marcaram tanto que até merecem um post especial sobre eles. Nessa lista também cabem alguns aplicativos que em 2015 foram meus grandes parceiros e que já não consigo viver sem. Lembrando que aqui não vale a regra de lançamento, são apenas minhas preferências.

1Livros

Para começar, vou listar os cinco livros que mais curti ler:

Put Some Farofa (Gregorio Duviver) – Me identifiquei muito, principalmente com as crônicas dele, algumas inclusive já publicadas na coluna semanal que ele tem na Folha. A forma como ele escreve sobre a vida e relações pessoais me levaram a um reconhecimento instantâneo. Inclusive, por causa dele, resolvi voltar a escrever esses temas.

Libertada (Michelle Knight) – É um livro pesado, cheio de relatos chocantes e inacreditáveis. Eu sofria com cada linha que lia sobre a história de Michelle que passou mais de dez anos em cativeiro sofrendo abusos e violações de sua dignidade. Apesar disso, indico por ser também uma história sobre como o ser humano poder ser forte e superar as mais difíceis desgraças.

Estamos Vivos (Chico Xavier e Elias Barbosa) – Sou muito curiosa com relação a vida após a morte e sempre que tenho oportunidade, leio a respeito. Esse livro é cheio de relatos pós-túmulo, com cartas psicografadas por Chico. Um dos relatos em particular me cativou muito, o do menino Wagner Augusto, o Guto, um garoto de 11 anos que faleceu junto a quatro amigos em um acidente de carro.

Sem Medo de Falar (Marcelo Ribeiro) – É uma história corajosa que desafia o leitor a entender como uma vítima de pedofilia pode se comportar e muitas vezes ser conivente com o abusador, pelo simples fato de ela não conseguir lutar contra aquilo que sofre.

Eu Me Chamo Antônio (Pedro Gabriel) – Eu amei cada página desse livro. As frases de Antônio (Pedro) parecem se encaixar para praticamente qualquer situação em que você queira expressar seus sentimentos sem parecer piegas. Já quero muito comprar o segundo dele.

2Filmes

Assisti muito filme bom em 2015, mas os listados abaixo superaram minhas expectativas:

Questão de Tempo (About Time – 2013) – Posso dizer com toda sinceridade que esse talvez seja um dos filmes mais lindos que já vi. E mais, preciso confessar que por causa dele eu tomei importantes decisões. A temática aparentemente é sobre um cara que consegue viajar no tempo e mudar seus erros. Mas vai por mim, é muito mais que isso. Eu recomendo sem medo.

The Babadook (2014) – Parece um terror sem sentido, mas se você tiver bastante atenção quando assisti-lo, vai ver que ele é muito mais profundo do que aparece. E seu significado é o que realmente assusta. Vale mesmo assistir.

E se? (What if – 2014) – Parecia ser só mais um romance, mas me arrancou lágrimas. É que esse despretensioso filme tem uma história fofinha sobre como lidar com a amizade quando ela se transforma em amor.

Intocáveis (Intouchables – 2011) – Como não se encantar com a amizade de Philippe e Driss? É uma linda história que enche os olhos e alma. Valeu super a pena assistir.

Azul é a Cor Mais Quente (La vie d´Adèle – 2013) – Intenso, apaixonante e cativante. Adele é encantadora e as quase três horas de filme, fluíram, na minha opinião, sem nenhum buraco ou cena desnecessária. Enfim, assistam!

3Aplicativos

E para finalizar, preciso falar para vocês sobre os app que foram uma mão na roda para mim esse ano. Não sou lá muito ligada em tecnologia, mas esses eu usei e super indico.

Spotify – Como sou movida por música, talvez o app que eu mais tenha utilizado esse ano. Aliás, recebi recentemente a informação de que ouvi mais de 60 mil horas, escutei mais de 4 mil músicas novas e quase 3 mil artistas diferentes em 2015. Ou seja…

Neko Atsume – Como não manjo das diferenças, eu chamo esse jogo viciante de app. Rsrs Enfim, eu precisava colocar ele nessa lista porque, meu Deus, impossível ser gateiro e não querer ter Neko Atsume instalado no celular.

Moldiv – Antes do Instagram me dar a opção de montar layouts diferentes do formato quadrado de uma foto, esse app que tem uma infinidade de opções de molduras diferentes me ajudou a ser mais criativa na hora de postar fotos.

Studio – Somado ao Moldiv, o Studio é quase um photoshop no celular pra mim. Consigo fazer umas montagens legais para homenagear os amigos nos niver e um monte de outras possibilidades.

VSCO – É quase como ter uma câmera profissional no meu celular. Os efeitos de edição de fotos são (ou eram antes do Instagram se aperfeiçoar) completos, dá para tratar uma foto, etc. É bem útil.

É isso galera. Queria falar das músicas também, mas a lista do Ed já superou as expectativas. Aproveito para desejar Boas Festas a todos e que 2016 seja um ano cheio de boas possibilidades. Até lá!

Compartilhe
AnteriorMelhores Músicas de 2015
PróximoFELICIDADE
Gabriela Silva, mais conhecida como Petit Gabi é uma paraense que já morou em algumas cidades, mas que encontrou seu porto seguro em São Paulo. Uma redatora que adotou a escrita como hobby. Amante de livros, gatos, Chico Buarque...