Início VISÃO Naomi Watts: a rainha dos remakes

Naomi Watts: a rainha dos remakes

385
Compartilhe

A atriz Naomi Watts não é das mais badaladas em Hollywood mas seu trabalho, em contrapartida, tem se tornado cada vez mais sólido. Dona de beleza fina e elegante, Naomi vem se consolidando no cinema a partir da escolha de filmes alternativos e que oferecem papéis realmente consistentes. São nesses trabalhos que ela vem mostrando ser uma boa atriz e não apenas uma mulher bonita.

Naomi Watts em O Chamado (The Ring - 2002).
Naomi em “O Chamado”. Foto: Reprodução

Comparada a outras atrizes, como Nicole Kidman, por exemplo, Naomi tem uma carreira relativamente “curta”. O que dá a entender que ela só se dedica realmente a papéis que considere relevantes para seu crescimento profissional. Ao que parece, ela tem feito apenas escolhas certas. Em sua filmografia constam longas como o enigmático Cidade dos Sonhos (2001), a série de terror clássico O Chamado (2002), o drama 21 gramas (2003), o remake de King Kong (2005); outro drama, O Impossível (2012) e, mais recentemente, viveu brilhantemente o papel de Lady Di em Diana (2013), em uma caracterização realmente incrível.

Naomi é uma atriz reservada e dedicada a família. É casada com o também ator Liev Schreiber e tem dois filhos. Antes de encarar a vida artística, Watts trabalhou como modelo, em uma loja de departamentos e como assistente de um editor de uma revista de moda australiana. A atriz também já foi adepta de esportes. Entre meados de 80 e 90, ela treinou Judô com bastante dedicação, só tendo parado de lutar por não conseguir conciliar o esporte com a carreira artística. Recentemente esteve envolvida em boatos de separação, dizem que ela e Liev estariam separados desde novembro, mas nada foi confirmado ainda.

Além de se dedicar à família e ao trabalho, Naomi também é embaixadora da boa vontade do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS, onde ajuda a conscientizar pessoas às questões relacionadas a doença. A atriz é também uma entusiasta dos esportes e assumiu a poucos dias a presidência de um times de futebol do País de Gales, o Glantraeth FC.

Naomi Watts em cena com Catherine Dent no filme 21 Gramas (21 Grams - 2003).
Watts contracena com Catherine Dent no filmes “21 Gramas”. © Focus Films
Wallpaper do filme King Kong (2005), com Naomi Watts.
Wallpaper do remake de King Kong. © Universal Pictures
Naomi Watts no cartaz do filme Diana (2013).
A incrível transformação de Naomi em Lady Di.

Pela atuação em 21 gramas Naomi foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz, interpretando Cristina Peck. Outra indicação que recebeu foi pela atuação visceral em O Impossível, onde deu vida a Maria, uma sobrevivente do Tsunami que aconteceu na Ásia em 2004. Pela excelente caracterização em Diana, era aposta para ser novamente indicada no Oscar 2014, mas acabou não rolando.

Em 2013, Naomi atuou em Amor Sem Pecado (2013), um drama erótico onde Watts encarna Lil, uma mulher madura que se apaixona pelo filho da melhor amiga, que também está apaixonada pelo filho da personagem de Naomi. O filme é uma produção australiana e francesa e é uma adaptação do livro “The Grandmothers” de Doris Lessing, que inclusive, ganhou o Nobel de Literatura em 2007. Desde então Naomi atuou em Marcas da Vida (2013), no aclamado Birdman (2014), vencedor do Oscar de Melhor Filme em 2015, em Um Santo Vizinho (2014) e Enquanto Somos Jovens (2014).

Naomi Watts e James Frecheville no filme Amor Sem Pecado (Perfect Mothers - 2013).
Naomi e James Frecheville no filme “Amor Sem Pecado”.

Uma das últimas produções em que Naomi atuou foi A Série Divergente: Insurgente (2015), como Evelyn. Ela também está confirmada nas próximas produções da série Convergente e Ascendente. Além disso, Naomi está entre o elenco que vai estrelar o retorno da famosa série dos anos 80, Twin Peaks. Ou seja, tem muito trabalho pela frente. Que venha muito sucesso também!