Início VISÃO Um Poema para Bárbara

Um Poema para Bárbara

469
Compartilhe

Fui apresentada ao romance histórico Um Poema para Bárbara antes do seu lançamento oficial, em Belo Horizonte. Lembro de ter me interessado quando fiquei sabendo em qual época se passa história: o século XVIII. E me interessei ainda mais após descobrir que a Inconfidência Mineira é o pano de fundo do romance.

Mônica Sifuentes, autora do livro Um Poema para Bárbara.
Mônica Sifuentes, autora do livro “Um Poema para Bárbara”. Foto: Divulgação

A fluidez do texto pode ser percebida logo na PARTE I, quando a autora mineira Mônica Sifuentes inicia a apresentação dos personagens, utilizando como cenário a Universidade de Coimbra, Portugal.

José Inácio de Alvarenga Peixoto, homem determinado, namorador, sonhador e esbanjador, se mostra também excelente anfitrião, desde os tempos em que estudava Direito. Após receber a notícia de que finalmente está em vias de usufruir da herança deixada por seu pai no Brasil, faz valer ainda mais sua fama de esbanjador. Tanto esbanjou que, para garantir a quitação de uma dívida, foi obrigado a penhorar o relógio de ouro deixado por seu pai. Mesmo entre tantas dificuldades financeiras, José Inácio termina o curso de Direito lecionando como professor substituto e em seguida, inicia carreira da magistratura.

Bárbara Eliodora, mulher à frente de seu tempo, de personalidade forte, determinada, prática e leitora dos maiores filósofos da época, é a filha mais velha do casal José da Silveira e Maria Josefa. Em sua numerosa família, residente em São João Del Rei, Bárbara chama atenção por seus “arroubos e bravatas”. Desolada, sua mãe conta às amigas que, certa vez, Bárbara achou que o barracão onde viviam os escravos precisava de reparos. Mediante a recusa do pai a consertar o telhado, ela o havia afrontado ameaçando mudar-se para o barracão, até que ele efetuasse o tal reparo. Pai amoroso que era, Dr. Silveira acaba cedendo e conserta o telhado.

Com dois personagens principais de personalidades tão marcantes, a autora conseguiu me transportar para os imensos casarões portugueses e mineiros, para as reuniões dos inconfidentes, para as audiências, para as conversas com Tiradentes e Aleijadinho.

Em sua obra, Mônica também desmistifica os motivos de as reuniões da maçonaria serem secretas, revelando como elas tiveram início aqui no Brasil.

O texto é tão rico em detalhes que, em um dos capítulos, descreve um dos pratos servidos em uma ocasião especial: Frango com Quiabo (amo esse prato, gente, sério!). Tive a sensação de mergulhar meu rosto em uma penseira! (algum Potterhead, aí?)

Além disso, Sifuentes consegue, sutilmente, “casar” os fatos históricos e o romance entre Inácio e Bárbara. É um livro que proporciona tanto lazer quanto aprendizado! Aprendizado sobre Portugal, Brasil e, em especial, Minas Gerais. Mas um aprendizado envolvente.

Capa do livro Um Poema para Bárbara.Ficha Técnica:

Título: Um Poema para Bárbara
Autora: Mônica Sifuentes
Capa: Diogo Droschi
Revisão: Patrícia Sotello
Editora: Gutenberg
Lançamento: 2015
Gênero: Romance histórico brasileiro

Nº de Páginas: 432
Formato: 16 x 23
Acabamento: Brochura
ISBN: 978-85-8235-237-3
Valor: r$ 44,90
Nota: 😺 😺 😺 😺 😺

Colaboração: Sadallo