Início VISÃO 12 Anos de Escravidão, o grande vencedor do Oscar

12 Anos de Escravidão, o grande vencedor do Oscar

432
Compartilhe

Esses dias estava assistindo o Jornal da Globo e uma reportagem que mostrava um episódio de racismo contra o jogador Arouca e outro contra o árbitro Marcio Chagas chamou minha atenção. Fiquei ouvindo sobre como eles foram desrespeitados e meu coração apertou. São coisas como essas que me fazem crer que somos um país de racistas enrustidos. Assistir a 12 Anos de Escravidão fez lembrar que essa triste época pode ter sido encerrada com a Abolição da Escravatura, há 126 anos, mas que o racismo ainda existe, seja ele velado ou explícito.

Chiwetel Ejiofor e Michael Fassbender no filme 12 Anos de Escravidão.
Chiwetel e Fassbender em ação. © Fox Searchlight Pictures

O ano é 1841, Solomon Northup (Chiwetel Ejifor) vive em Nova York ao lado da esposa e dos filhos. Ele é um músico conceituado e leva uma vida tranquila até receber uma proposta de trabalho para tocar violino em um circo itinerante. Ao aceitar a proposta ele cai em uma trapaça, tendo sido ludibriado por seus supostos contrantes, que na verdade o vendem ilegalmente para um capataz que o leva para ser revendido.

Sequestrado e acorrentado, ele é vendido como escravo e precisa superar humilhações físicas e emocionais para conseguir sobreviver a sua nova e triste realidade. Apesar de ter a consciência de ser um homem livre e letrado, Solomon se coloca em uma posição de complacência, mantendo a cabeça baixa em sinal de obediência constante. Ele sabe que precisa ser assim para continuar vivo e, quem sabe um dia, poder reencontrar a família que ama.

Ao longo de doze anos ele passa por dois senhores muito distintos, Ford (Benedict Cumberbatch) e Edwin Epps (Michael Fassbender). Ford é um senhor mais bondoso, gosta de tratar bem seus escravos, mas ainda assim tem consigo a ideia de que são apenas mercadorias. Já o senhor Edwin Epps faz questão de ser cruel com seus negros, sempre com a bíblia nas mãos para provar que sua soberania está nas escrituras. Com o senhor Epps, Solomon passa os piores anos de sua vida, sendo constantemente maltratado, espancado e vivendo sem nenhuma dignidade.

Com a direção de Steve McQueen, 12 Anos de Escravidão é um retrato nu e cru dos absurdos vividos naquela era de trevas pelo qual o mundo passou. O diretor foi cuidadoso ao não cair em clichês, sem grandes frases de efeito, preocupando-se em dar enfoque a realidade da época da forma mais verossímil possível.

Ford (Benedict Cumberbatch) entrega o violino para Solomon (Chiwetel Ejifor) em cena do filme 12 Anos de Escravidão.
Ford entrega o violino para Solomon. © Fox Searchlight Pictures
Michael Fassbender, Lupita Nyong’o e Chiwetel Ejiofor em cena do filme 12 Anos de Escravidão.
Fassbender, Lupita e Chiwetel em cena do filme “12 Anos de Escravidão”. © Fox Searchlight Pictures

O roteiro, que foi uma adaptação do livro do próprio Solomon Northup, ficou por conta do competente John Ridley, que inclusive foi premiado no Oscar 2014 por seu magnífico trabalho. A fotografia, trabalho feito pelo parceiro de longa data de McQueen, Sean Bobbit, também é uma das características positivas do filme. A investida em planos detalhes, sempre com a câmera próxima a objetos e partes dos corpos dos personagens fazem com que o espectador sinta cada uma das cenas com mais intensidade.

Com um grande elenco, composto por atores experientes e também por iniciantes que acabaram sendo uma grande surpresa, como Lupita Nyong’o, 12 Anos de Escravidão é de longe o melhor filme realizado sobre o tema nos últimos anos. Além disso, a sintonia entre Chiwetel Ejifor, Fassbender e Lupita deu ao longa um tom de reconhecimento e empatia que levou muitos espectadores as lágrimas no cinema, seja pela tristeza, compaixão ou raiva sentida em cada passagem em que os três estavam atuando juntos.

Poster do filme 12 Anos de Escravidão (12 Years a Slave).Informações Técnicas

Título Original: 12 Years a Slave
Título no Brasil: 12 Anos de Escravidão
País de Origem: Estados Unidos e Reino Unido
Gênero: Drama / Biográfico
Duração: 134 min
Ano de Lançamento: 2013
Estreou no Brasil: 21 de Fevereiro de 2014
Direção: Steve McQueen
Roteiro: John Ridley (baseado na autobiografia homônima de Solomon Northup).
Estúdio: Regency Enterprises / River Road Entertainment
Distribuição: Fox Searchlight Pictures / Summit Entertainment
Site Oficial: www.foxsearchlight.com/12yearsaslave

Das nove indicações que recebeu, 12 Anos de Escravidão levou três, sendo alguns dos mais importantes da premiação: Melhor Atriz Coadjuvante (Lupita Nyong’o), Melhor Roteiro Adaptado e, claro, Melhor Filme. Lembrando que McQueen é o primeiro cineasta negro a dirigir uma produção que venceu o principal prêmio de Hollywood. Antes de 12 Anos de Escravidão ele havia dirigido apenas dois filmes, Hunger (2008) e Shame (2011).

O Oscar foi merecido e 12 Anos de Escravidão vai ser lembrado para sempre por mostrar a história sobre uma triste realidade que deveria estar enterrada há anos, mas que continua muito presente na nossa sociedade.

Compartilhe
AnteriorLuba Shumeyko pelas lentes de Petter Hegre
PróximoQuando é hora de dizer: BASTA!
Gabriela Silva, mais conhecida como Petit Gabi é uma paraense que já morou em algumas cidades, mas que encontrou seu porto seguro em São Paulo. Uma redatora que adotou a escrita como hobby. Amante de livros, gatos, Chico Buarque...