Início VISÃO Além da Muralha

Além da Muralha

365
Compartilhe

“Surgiram vários livros sobre a série da HBO GAME OF THRONES e sobre AS CRÔNICAS DE GELO E FOGO… E o que mais me impressionou foi Além da Muralha, de James Lowder.” – George R.R. Martin

A Muralha ilustrada.
“A Muralha” ilustrada.

Confesso que tenho certa resistência a ler análises sobre obras grandiosas, mas mudei de ideia quando li o elogio de George R.R. Martin ao livro ALÉM DA MURALHA. Além disso, a belíssima capa aveludada me atraiu bastante.

A obra em questão contém spoilers – Sim! No plural! – mas nenhum que a Internet já não tenha fornecido. Acredito, inclusive, que eles forneçam menos detalhes do que muitas outras fontes online.

Este livro me surpreendeu positivamente em todos os 14 capítulos – mesmo quando o assunto salta de romantismo para estupro. Todos os temas são muito atrativos e tratados de maneira extremamente profissional por seus autores. Talvez por isso tenha sido bastante difícil escolher quais capítulos dar mais atenção para dividir com vocês as minhas impressões sobre a obra. Adaptações sempre me deixaram curiosa e a de AS CRÔNICAS DE GELO E FOGO não tiveram efeito oposto.

No capítulo 3: MESMA CANÇÃO EM OUTRO TOM, Daniel Abraham – o autor do capítulo e da adaptação de AS CRÔNICAS DE GELO E FOGO para graphic novel* – expõe ao leitor os vários dilemas enfrentados por ele e sua equipe durante o processo de criação. Nesse caso, a primeira dificuldade mencionada por Abraham é adaptação de textos abstratos, pois esse formato emprega ferramentas diferentes da prosa. A partir de tal dificuldade ele apresenta outra: o que preservar em uma adaptação? Para a felicidade da maioria dos leitores e, principalmente, dos apreciadores de história em quadrinhos, a opção foi de não preservar as imagens já criadas, pois antes desse projeto ter início já existiam réplicas de espadas, esculturas, gravuras, cartas, jogos etc, além da série de TV.

Segundo o autor, outro grande dilema foi o que fazer com Daenerys Targaryen. No livro, aos 13 anos, ela já é um fantoche político, emocional e sexual. Para a equipe, as opções disponíveis não eram muito condescendentes: enfrentar o Ato Protetor de 2003, que proíbe “representações visuais obscenas de um menor envolvido em conduta sexual explícita”, ilustrando Daenerys tal como o livro a descreve; ou omitir vários momentos importantes da personagem, alterando a idade e outras características dela.

Outra dificuldade encontrada pelos criadores do romance gráfico é o fato de AS CRÔNICAS DE GELO E FOGO ainda estar em andamento. Segundo o autor, não saber qual personagem é relevante (ou não é) dificulta esse tipo de adaptação, pois não se pode poluir a obra com imagens e textos. Ela deve ser um pouco mais objetiva que a prosa.

Assim que terminei de ler ALÉM DA MURALHA, olhei com MUITA atenção o livro I da graphic novel de As Crônicas de Gelo e Fogo. Posso afirmar, com toda a certeza, que o resultado é sensacional. As decisões tomadas pela equipe foram assertivas e convincentes. Sugiro aos leitores (há algum por aí?) que tirem alguns minutos do seu tempo em uma livraria para conhecer essa adaptação.

Outro capítulo que acho importante comentar é o sexto: A ARTE IMITA A GUERRA, escrito por Myke Cole que, além de ex-veterano de guerra, é consultor de governos civis e militares, autor da série de fantasia militar Shadow Ops (com dois volumes já publicados). Nesse capítulo, Cole fez com que eu me sentisse ora em Westeros, ora no “mundo real”. A forma como ele analisa e associa o Transtorno do Estresse Pós-traumático (TEPT) em AS CRÔNICAS DE GELO E FOGO vs. “mundo real”, me ensinou como encarar alguns personagens com mais solidariedade, pois ele situa Arya Stark e Theon Greyjoy no do código de cores de Cooper. Para isso, ele discorre sobre o TEPT ser tratado como patologia e que, apesar da nomenclatura, não é um transtorno, mas uma mudança de perspectiva, citando seu próprio caso de Condição Amarela na escala acima citada:

“[…] Não posso me sentar confortavelmente em um restaurante ou café, a menos que esteja encarando a entrada, de costas para a parede. Minhas mãos automaticamente vão para ‘minha área de trabalho’… sempre que ouço um carro cantar pneus. […]”.

Segundo Cole, é durante essa mudança de perspectiva que o TEPT pode destruir ou emancipar dentro das Condições Amarela ou Negra. Portadores de TEPT oscilam entre esses dois extremos de um dia para o outro. Para ilustrar essas condições a partir da obra de Martin, ele achou mais eficaz utilizar os extremos.

A forma real com que Cole mostra o estado permanente das duas condições mencionadas, fez com que – mais uma vez – eu pudesse enxergar a obra de Martin por outro ângulo, pois ele utiliza seus conhecimentos práticos e profissionais**, para provar como “a ficção – no caso, a fantasia – se torna outra opção nessa caixa de ferramentas”. Myke Cole faz questão de destacar que os comportamentos de Arya e Theon – assim como os de outros personagens de As CRÔNICAS DE GELO E FOGO – chamam sua atenção porque refletem comportamentos reais de combatentes que retornam de guerras. Sendo assim, por que não utilizar a arte como ferramenta de solução para problemas reais?

Além dos dois capítulos que mencionei, encontrei neste livro inúmeros assuntos que podemos facilmente utilizar como parâmetro para discussões (pacíficas, gente! Por favor!) sobre o épico de Martin vs. realidade, como por exemplo: se fantasia é ou não literatura (não vale perguntar à Ruth Rocha!); se Martin é ou não machista e a favor do estupro; se é correto questionar a contagem do tempo em Westeros; os motivos de os nossos queridos autores se entreterem escrevendo prelúdios ao invés de dar continuidade às nossas séries favoritas; se os exemplares que temos são colecionáveis ou não, etc.

Mesmo tendo sido apresentada primeiramente à série da HBO – após muita relutância -, me encantei com esse épico fantástico. O livro ALÉM DA MURALHA, em nada me atrapalhará a assistir e ler o que me falta para me atualizar: três livros (lançados) e três temporadas (exibidas). Muito pelo contrário: fará com que eu absorva mais os conhecimentos que esse épico não convencional, no qual quem morre são os heróis, tem para oferecer. Também não posso deixar de dizer, que serei um pouco mais solidária com alguns párias e o que não falta nesse épico são os párias né, gente?

* graphic novel: “histórias em quadrinhos, livros de arte sequencial, qualquer um desses nomes”.
** “Não sou um profissional de saúde mental; sou um cara com algumas experiências em relação a como o TEPT se manifesta.” Cole, Myke

Acho extremamente justo, encerrar esse texto com um trecho do último capítulo de ALÉM DA MURALHA, que foi escrito por Ned Vizzini:

“[…] Pessoalmente, acho que uma história é uma história, e a única coisa digna sobre a qual escrever é o coração humano em conflito consigo mesmo.”

Capa do livro Além da Muralha: explorando o universo de AS CRÔNICAS DE GELO E FOGO, de George R.R. Martin.Ficha Técnica:

Título no Brasil: ALÉM DA MURALHA: explorando o universo de As Crônicas de Gelo e Fogo, de George R.R. Martin
Organizador: James Lowder
Tradução: Marcia Blasques
Editora: Leya
Páginas: 240
ISBN: 978-85-441-0198-8

Título Original: BEYOND THE WALL: exploring George R.R. Martin’s A Song of Ice and Fire, from A Game of Thrones to A Dance with Dragons
Valor: R$ 44,90
Nota: 😺 😺 😺 😺 😺

Colaboração: Sadallo Andere e André Ferrari.

  • Carlos Caetano

    Uau! Já quero esse!

    • Sarabólica Pv

      Leitura rapidinha, porque os assuntos abordados são muito interessantes! 😉