Início VISÃO Mestre Amado e os Capitães da Areia

Mestre Amado e os Capitães da Areia

189
Compartilhe

O mar azulado, a areia molhada, os ritos do Candomblé, as ruas de pedra, o branco das roupas… A tristeza, o ódio, a doçura, a força, a coragem, o amor! Elementos essenciais que pontuam os cenários e personagens do filme Capitães da Areia (baseado na obra do imortal Jorge Amado), homem conhecedor de seu povo, da sua terra, de suas raízes.

Cena do filme Capitães da Areia
Jean Luis Amorim (Pedro Bala) e Robério Lima (Professor) no filme Capitães da Areia. Foto: Divulgação

Cecília Amado, neta do brilhante escritor baiano, nos brinda com uma emocionante produção caracterizada na Salvador dos anos 30. Com um elenco completamente desconhecido das telas de cinema, fotografia impecável e uma trilha sonora produzida por Carlinhos Brown, que nos enche o ouvido de lirismo e nos transporta para um lugar incomum na vida dos adolescentes e crianças, personagens dessa trama de aventura, que não nos deixa desgrudar os olhos da tela nem mesmo após os créditos começarem a subir. O filme é parte das comemorações do centenário do escritor Jorge Amado, morto em 2001, e que completaria 100 anos em 2012.

Foram 22 ONG’s, 1200 jovens entrevistados para chegar aos 12 “escolhidos”. Pedro Bala (Jean Luis Amorim) é o personagem principal, mas ele não está sozinho, pois até mesmo os coadjuvantes, com raras exceções, encantam com suas atuações cativantes. Bala é o tipo de garoto que, no auge dos seus 15 anos, transpira confiança, valentia, coragem e senso de justiça. É aquele menino que não teme o perigo e não mede esforços para manter unido o grupo sob sua tutela. Ele, talvez, seja o rapaz que qualquer mocinha de 13 anos poderia se apaixonar, por trazer a tona uma sensação de virilidade e proteção.

Os Capitães da Areia, liderados por Pedro Bala, é composto por rapazes como Professor (Robério Lima), um rapaz tímido, que tem gosto por leitura e desenhos, é fiel ao seu líder e torna-se um dos coadjuvantes mais presentes na trama. Gato (Paulo Abade), malandro, sedutor e galante. Sem Perna (brilhantemente interpretado pelo também iniciante Israel Gouvêa), um garoto deficiente e perturbado por sua condição física e pelos maus-tratos sofridos na vida, sempre cheio de ódio e desprezo pela religião e a sociedade. E Boa Vida (Jordan Mateus), um pequeno e desbocado garotinho que nos traz algumas das cenas mais hilárias do filme.

Cartaz do filme Capitães da AreiaInformações Técnicas

Título Original: Capitães da Areia
País de Origem: Brasil
Gênero: Aventura, Drama
Duração: 96 min
Ano de Lançamento: 2011
Estreou no Brasil: 07 de Outubro de 2011
Direção: Cecília Amado
Co-Direção: Guy Gonçalves
Roteiro: Cecília Amado e Hilton Lacerda
Trilha Sonora: Carlinhos Brown
Estúdio: Telecine Productions / Maga Filmes
Distribuição: Imagem Filmes
Site Oficial: www.capitaesdaareia.com.br

A amizade dentro desse grupo tão distinto é repleta de lealdade. Estão ali uns pelos outros, sentem a dor e o medo de cada um como se fosse sua. Zelam pela segurança e não medem esforços para se proteger do mundo do lado de fora do trapiche que chamam de LAR. Ao mesmo tempo que brigam, apontando uma faca ou lutando capoeira, momentos depois conversam sentados, olhando para a lua, como se nada tivesse acontecido. Talvez um dos poucos momentos em que realmente se desentendem é na chegada de Dora. A menina consegue trazer a tona o lado animalesco que vive dentro de cada ser humano.

Dora, a ingênua e doce menina que perdeu a mãe para a varíola e se viu sozinha cuidando do irmão, é um caso a parte. Interpretada pela também iniciante Ana Graciela Conceição, é o contraponto entre a dureza dos Capitães da Areia e a doçura que só uma menina consegue ter. Levada por Professor e João Grande para o trapiche onde viviam os meninos, ela no começo causa uma grande confusão entre eles, mas depois acaba se tornando a “mãezinha” e a irmã de todos. Ou seja, a figura feminina que faltava nesse quadrante totalmente masculino. Ela e Bala acabam por formar um casal forte e que ao mesmo tempo nos enche o coração de ternura. O romance entre eles chega até a ser infantil, com pequenos takes dos dois brincando na praia e trocando inocentes beijos. Mas a sexualidade latente, como uma necessidade física entre ambos, traz uma das cenas mais bem feitas e cuidadosas do filme.

Capitães da Areia retrata bem a infância perdida das crianças do trapiche, que vivem de pequenos furtos para sobreviver, mas que não perdem o ar infantil ao se verem brincando em um velho carrossel. Seus olhos são repletos de amargura grande parte do tempo, mas seus risos, quase escassos e muitas vezes escondidos sob a armadura da dureza de suas vidas, conseguem nos envolver em uma atmosfera de amizade, respeito e compaixão mútua. (Revisão: Felipe Rui).

Assista ao Trailer e depois corra pro cinema!

———————————————————————————————————————————————-

Gabriela SilvaGabriela Silva, mais conhecida como Petit Gabi é uma paraense que já morou em algumas cidades, mas que encontrou seu porto seguro em São Paulo. Uma redatora que adotou a escrita como hobby. Amante de livros, gatos, Chico Buarque e apaixonada por redação. Enfim, uma pessoa comum, que gosta de escrever sobre coisas comuns. Mais do mesmo no Só Vim Pra Escrever, seu blog pessoal. @petitgabi

Compartilhe
AnteriorAnipólitan 2011
PróximoEntrevista com Cecília Amado

Gabriela Silva, mais conhecida como Petit Gabi é uma paraense que já morou em algumas cidades, mas que encontrou seu porto seguro em São Paulo. Uma redatora que adotou a escrita como hobby. Amante de livros, gatos, Chico Buarque…

  • Capitão chegou, Capitão chegou, Capitão chegou e vai encantar vcs!

    Adorei o texto, me encheu os olhos de lágrimas… Crianças carentes, abandonadas a própria sorte, perdidas nesse mundo de meu Deus. Precisam ser resgatadas, elas são o futuro do nosso Brasil…

    A obra do Mestre Amado vem fazendo isso!
    Que lindo, parabéns Gabi!!!

  • Maria do Carmo Silva

    Que lindo filha linda,sempre dedica com a leitura.